Detectamos que o seu navegador está desatualizado. Para uma melhor visualização do conteúdo, recomendamos que baixe uma versão mais recente.

Menu



Relações Internacionais

A Secretaria de Estado de Governo (Segov), por meio da Assessoria de Relações Internacionais (ARI), desenvolve vários projetos e programas no Estado. Confra: 

Programa de Internacionalização Regionalizada

O Programa visa fortalecer e impulsionar o processo de internacionalização do Estado de Minas Gerais, a partir de estratégias de participação social.  A ARI, em parceria com os Fóruns Regionais de Governo, realiza a sensibilização das lideranças dos municípios sobre a importância das relações internacionais. São realizadas oficinas com o objetivo de sensibilizar técnicos e representantes do setor público, produtivo, comercial, educacional, integrantes dos Colegiados Executivos dos Territórios e representantes da sociedade civil para os benefícios das relações internacionais,da cooperação e suas contribuições para o desenvolvimento local. Durante os eventos de internacionalização regionalizada ocorrem palestras com temas específicos para cada região, que incluem a importância da promoção turística para a região,comércio exterior, projetos e oportunidades de investimento a partir da internacionalização, assuntos diplomáticos e educacionais.

Programa de Voluntariado Internacional

Contribuir para a internacionalização e criação de cultura internacional do Estado por meio de inserção de estrangeiros no serviço público estadual é o objetivo do Programa de Voluntariado Internacional.

O programa propicia a estrangeiros a oportunidade de conhecer e contribuir com as políticas públicas de Minas Gerais, de fortalecer as parcerias entre as Instituições de Ensino Superior; estimula pesquisas e produções cientificas internacionais; contribui para a internacionalização de Minas Gerais; além de fomentar a vivência multicultural e internacional no ambiente administrativo do Estado.

 

Programa de formação intensiva em língua estrangeira moderna

Uma parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SEE), o programa tem como objetivo sensibilizar os alunos da rede estadual quanto à importância do domínio da língua estrangeira, bem como melhorar o desempenho de competências de comunicação dos estudantes e a capacitação dos professores, tanto no que se refere a proficiência do idioma como nas metodologias inovadoras de ensino. O programa se divide em 4 eixos: sensibilização, formação continuada, intercâmbio e diversificação.

São desenvolvidas as seguintes ações:

Parcerias com a Embaixada dos Estados Unidos

  • Access -  40 bolsas integrais para curso de inglês, de dois anos, para alunos da rede estadual, sendo 20 em Belo Horizonte e 20 em Juiz de Fora.
  • ILEP – programa que oferece oportunidade aos alunos da rede pública de participar de um intercâmbio três semanas nos Estados Unidos.
  • Jovens Embaixadores – programa que oferece oportunidade aos alunos da rede pública de participar de um intercâmbio de cinco meses nos Estados Unidos.
  • Immersion week – programa de imersão total em língua inglesa e cultura americana para os semifinalistas do processo seletivo do Programa Jovens Embaixadores.

 

Parcerias com a Embaixada do Reino Unido

  • Pearson-Prosperity Fund -  programa de capacitação técnica e metodológica para os professores de língua inglesa da rede pública estadual. Teste individualizado com 1.000 professores; 300 bolsas para curso de capacitação técnica on-line; 40 bolsas para curso integrado de capacitação técnica e metodológica.
  • Concurso Welcome Great Britain 2016 – concurso realizado com o objetivo de atrelar o evento olímpico à sensibilização para a importância do domínio da língua inglesa no mundo atual. Com a participação dos 17 territórios de desenvolvimento - 113 cidades e 139 escolas - foram publicados 2050 cartões na página do Facebook, somando 3905 curtidas.

 

Parcerias com o British Council

  •  Doação de 1800 livros em inglês para as Escolas Estaduais, com o intuito de oferecer ao professor um material moderno para ser utilizado em sala de aula e enriquecer o acervo das bibliotecas escolares.
  • Customização de programas de capacitação para professores e alunos da rede pública estadual.

 

Minas Gerais Business Program

O Programa visa atrair investimentos estrangeiros, promover Minas Gerais comercialmente e apoiar o conjunto de atividades que vêm sendo desenvolvidas em prol da internacionalização do Estado.

As duas ações principais realizadas em 2016 foram:

  • Hospitality Olimpíadas 2016 - programa que trouxe à Belo Horizonte um grupo seleto de tomadores de decisões de grandes empresas estrangeiras, que participaram de uma agenda composta de diversas atividades estratégicas para o Estado. As empresas convidadas para o programa são de extrema relevância e estão ligadas as áreas prioritárias para o desenvolvimento de Minas Gerais.
  • FINIT (Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia) - evento promovido pelo Governo de Minas Gerais em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), serviu como vitrine para agentes inovadores nacionais e internacionais.

 

Promoção turística cruzada

Promoção Turística Cruzada tem o objetivo de difundir as potencialidades turísticas de Minas Gerais em estados e províncias irmãs, aproveitando os laços de cooperação já existentes. 

O Programa, executado em parceria com a Secretaria de Estado de Turismo (Setur), permite a divulgação da cultura, gastronomia e circuitos mineiros em grandes mercados do mundo, impulsionando a exposição de Minas Gerais no exterior e incrementando o turismo internacional.

Iniciado no âmbito do irmanamento com a província japonesa de Yamanashi, algumas iniciativas foram já desenvolvidas:

  • Espaços promocionais nas mídias e canais de comunicação de ambos estados, como sites e mídias sociais.
  • Turnê da Orquestra Jovem das Gerais, de Contagem, em 3 províncias japonesas.
  • Página sobre Minas Gerais em jornais de grande circulação em Yamanashi.
  • Tradução do site de Yamanashi para português.
  • Página sobre Yamanashi no Guia do Torcedor das Olimpíadas 2016.
  • Stand do Governo de Minas no Festival do Japão de 2016 e 2017, com informações da promoção turística cruzada e materiais promocionais.

 

Cooperação Minas Gerais – Yamanashi, Japão

O irmanamento entre o Estado de Minas Gerais e a Província de Yamanashi, datado de 1973, é o mais antigo e um dos mais ativos de nosso estado. Ao longo dos mais de 40 anos de cooperação, que se iniciou com a pauta de lapidação de pedras preciosas, diversas iniciativas, parcerias e projetos foram desenvolvidos entre as duas partes, em diferentes módulos e temáticas, com vários órgãos e secretarias.

Entre 2015 e 2017, o estado recebeu 4 visitas oficiais de delegações da província irmã. Em agosto de 2015, o governador Fernando Pimentel assinou um Memorando de Entendimentos, que renova os laços com a província japonesa, focando a cooperação nas áreas de Esportes e Turismo, uma vez que Yamanashi pretende desempenhar um papel semelhante ao de Minas Gerais nas Olimpíadas Tóquio 2020. Por outro lado, além da Secretaria de Estado de Esportes (SEESP) e Setur, parcerias com a ARI, Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Secretaria de Estado de Cultura (SEC), Sedectes e Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) também foram encaminhadas nas missões oficiais recebidas, em um total de 18 encontros e reuniões.

 

Cooperação Minas Gerais – França

Minas Gerais e França possuem profundos e robustos laços de cooperação. Com a característica de serem multinível e multiatores, garantem uma grande abrangência de nichos de oportunidades, tanto na perspectiva técnica quanto na financeira. A região de Hauts de France (estado irmão), a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e a Agência Francesa de Meio Ambiente e Gerenciamento Energético (ADEME) são os principais parceiros nessa cooperação, em articulação constante com o governo do estado.

Em 2012, a AFD realizou o empréstimo de €300.000.000,00 (trezentos milhões de euros) ao governo estadual para o Programa de Apoio aos Investimentos em Infraestrutura de Serviços Básicos no Estado de Minas Gerais - Reestruturação da Dívida CRC/CEMIG, que tinha como um dos principais objetivos o desenvolvimento de indicadores sociais e redução das desigualdades territoriais do estado.

Desenvolvido no âmbito do irmanamento com a região de Hauts de France, e com a parceria técnica e financeira da AFD e ADEME, o Plano de Energia e Mudanças Climáticas de Minas Gerais (PEMC) é um instrumento que coloca Minas Gerais na vanguarda do planejamento para a transição a uma economia de baixo carbono e redução das vulnerabilidades do território mineiro às mudanças climáticas. A Plataforma Clima Gerais, o Índice Mineiro de Vulnerabilidade Climática e o Observatório Clima e Energia de Minas Gerais são ferramentas resultantes do plano, que permitem aos gestores estaduais e municipais o desenvolvimento de políticas públicas mais eficientes e assertivas, dentro de uma estratégia territorial integrada. Aliado às estratégias do PEMC, a AFD abriu duas linhas de crédito junto ao BDMG, direcionados ao financiamento de projetos municipais de infraestrutura para o combate aos efeitos adversos das mudanças climáticas:

  • 2013: €50.000.000,00 (50 milhões/euros).
  • 2015: R$50.000.000,00 (50 milhões/reais).

Em 2016, uma nova proposta de cooperação com a AFD foi entregue à Direção Executiva da agência, envolvendo programas de diversas Secretarias do Governo de Minas Gerais, mirando nos próximos anos e considerando as estratégias da nova gestão à frente do estado.

 

Comitê Político do Plano de Energia e Mudanças Climáticas de Minas Gerais

Instituído por meio do decreto nº 46.818/15, o Comitê Político do Plano de Energia e Mudanças Climáticas de Minas Gerais (COPOL – PEMC), é a instituição política responsável por deliberar e assegurar o cumprimento das metas e compromissos estaduais referentes à mitigação e adaptação às mudanças climáticas, bem como à política de transição energética do estado. Além disso, dentre outras atribuições, o Comitê é responsável por acompanhar as revisões periódicas de aperfeiçoamento e a implementação das ações do PEMC no território mineiro, promovendo também um desenvolvimento de baixo carbono. Ainda, compete ao COPOL-PEMC subsidiar o Governador em negociações nacionais e internacionais referentes à mudança do clima e redução das vulnerabilidades territoriais.

A 21ª Conferência das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima – COP21, realizada em 2015 em Paris, foi responsável por positivar o maior tratado internacional no que se refere à agenda climática, o Acordo de Paris. O Brasil é um dos signatários do acordo, e possui metas e compromissos de alta ambição para a redução das emissões de gases de efeito estufa, da vulnerabilidade territorial no país e sua transição energética. Tanto na COP21 quanto em outras ocasiões, O PEMC foi reconhecido por diversas instituições como um projeto de grande sucesso, tendo sido indicado pelo Ministério das Relações Exteriores da França como uma das cooperações internacionais subnacionais mais bem-sucedidas de todo o país.

Composição: ARI/SEGOV, que o preside; SEGOV; SEPLAG; SECCRI; SEMAD; SGG; FEAM; IGAM; IEF; CEMIG; COPASA; BDMG. Participantes eventuais: SEAPA; MMA; HdF; AFD; ADEME; Consulado e Embaixada da França.

 

Localização de agendas internacionais em Minas Gerais

Governos subnacionais estão ganhando um novo protagonismo nas agendas globais. Metas e compromissos universais, sejam elas políticas, econômicas, sociais ou ambientais, não podem mais hoje ser alcançadas, invariavelmente, sem o engajamento e as construções propostas pelos atores presentes nos âmbitos locais e regionais.

Nesse sentido, o governo do estado tem se aproximado cada vez mais às principais pautas e discussões globais, tanto pela apropriação dos resultados quanto pela participação em sua construção, possibilitando um ambiente favorável ao desenvolvimento de políticas públicas mais eficientes com a localização de tais agendas, centrais ao sistema internacional, também em nosso estado. De maneira transversal, e articulado a diversos órgãos e secretarias de governo, são implementadas no estado agendas como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que trazem as estratégias de desenvolvimento construída pela ONU até 2030; o Acordo de Paris, que vincula todo o mundo no combate às mudanças climáticas e redução das vulnerabilidades territoriais; e a Nova Agenda Urbana, que traz os paradigmas de desenvolvimento urbano das próximas décadas.

Podemos justificar essas ações como um mecanismo de alavancagem de nosso estado. No ponto de vista político e institucional, a localização de tais agendas em nosso estado encurtar caminhos e permite o desenvolvimento de políticas públicas mais eficazes, inclusivas e ambiciosas, trazendo um maior retorno à nossa sociedade.