Detectamos que o seu navegador está desatualizado. Para uma melhor visualização do conteúdo, recomendamos que baixe uma versão mais recente.

Menu

Notícia

Categoria: Segov

Governador cobra do TCE relatório com suspeitas de recebimento irregular de salários por servidores estaduais

Auditoria da Corte, a partir de colaboração do governo, identificou servidores que recebem mais de um salário de forma irregular

Imagem ilustrativa - Visita ocorreu, nesta segunda-feira (7/5), na sede do TCE, em Belo Horizonte
Visita ocorreu, nesta segunda-feira (7/5), na sede do TCE, em Belo Horizonte (Foto: Marcelo Sant'Anna/Imprensa MG)

Compartilhar notícia

  • ícone de compartilhamento

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, reuniu-se nesta segunda-feira (7/5) com o presidente em exercício do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG), conselheiro Mauri Torres, para cobrar o acesso do Governo do Estado ao relatório elaborado pela corte, a partir de colaboração do governo, que identificou servidores suspeitos de acumularem cargos de forma ilícita.

Segundo Pimentel, a visita ao TCE foi de cortesia, mas com objetivo de que assegurar que o tribunal repasse a listagem com os nomes dos servidores que podem estar envolvidos em situações irregulares.

“Como a listagem ainda não foi encaminhada, eu vim pedir ao presidente em exercício, conselheiro Mauri Torres, que nos forneça tão rápido possível para que a gente possa tomar providências. São casos, segundo o tribunal, muito graves, e nós vamos ter que tomar atitudes severas, suspensão de pagamentos, abertura de sindicância individual. O tribunal assegurou que enviaria ainda hoje, no máximo amanhã de manhã, e a gente começa a trabalhar nesta questão”, afirmou.

Na última sexta-feira (4/5), o governador determinou a suspensão do pagamento nos casos em que houver irregularidade - mas, para que as providências sejam tomadas, o TCE precisa encaminhar o relatório ao Governo do Estado. A Secretaria de Fazenda, responsável pela folha de pagamento, e a Controladoria-Geral do Estado, serão responsáveis por essa apuração.

Conforme a chefe de gabinete da Presidência do TCE, Rachel Campos, as listagens devem começar a ser enviadas ao governo no máximo a partir desta terça-feira (8/5). “Esse relatório tem o intuito de apontar acumulações ilícitas irregulares de cargos públicos. O tribunal fez o levantamento de todos os seus jurisdicionados e divulgou as informações que hoje estamos chamando de indícios de irregularidades. Então, a visita do governador vem nesse intuito”, disse.

Também compareceram ao encontro no Tribunal de Contas do Estado os secretários de Estado de Fazenda, José Afonso Bicalho; de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães; de Casa Civil e de Relações Institucionais, Marco Antônio Rezende e de Governo (em exercício), Francisco Moreira.  

Fonte: Agência Minas

Últimas Notícias